QUER
ESTUDAR
COMIGO?
MARQUE
SUA AULA
EXPERIMENTAL
Buscar
  • Adalberto Brajatschek

3 erros frequentes que os estudantes de bateria cometem

Se você estuda, estuda e não consegue obter resultados, talvez esteja esbarrando em algum desses itens.



#Estudarbateria, como qualquer outro instrumento musical, requer disciplina e muita prática. Mas poucas pessoas param para refletir na qualidade da sua prática. Geralmente entramos naquele jogo de falar em quantidade de horas, variedade de materiais e atividades que estamos fazendo. Postamos fotos e vídeos dando um tipo de “satisfação para o mundo” – ‘OLHEM, EU ESTOU ESTUDANDO!’.


E sobre os resultados? Você está satisfeito com eles? Ou nem se lembra de acompanhar seu progresso? Escolhi 3 tópicos, entre muitos outros, para que você possa refletir a respeito de como tem usado seu tempo de estudo:


1. NÃO TER UM PLANO DE AÇÃO

Pode parecer óbvio, mas o maior problema de todos é justamente o de não saber para onde você está indo. Você já parou para se perguntar em que área você quer atuar? Sim! Até mesmo se #estudabateria como hobby você tem múltiplas escolhas... Vai montar uma banda? De que estilo? Quais habilidades precisa ter?


Outra questão é não ter a consciência do porque você está estudando o que está estudando. Podemos citar 2 “respostas problema”:


- Porque meu professor mandou fazer isso. Verifique se você somente repete o que foi apresentado, sem nenhum tipo de “curiosidade” sobre a relevância do material/assunto.

- Porque eu vi isso na internet. Você encontrou um vídeo com uma virada mega power blaster e “precisa” dela para poder impressionar? Se você procurar, vai encontrar outra e mais outra e mais outra... a questão é: você precisa disso agora ou está com ansiedade de saber tudo?


Não ter um plano de ação faz com que você não possa saber onde quer chegar nem avaliar em que ponto está nesse momento. Isso pode causar a falsa impressão de que você está sempre perdendo algo e te levar para uma “corrida sem direção”, feito barata tonta.

2. NÃO PRIORIZAR A QUALIDADE

Outro ponto crucial é a maneira como o material é praticado. Estudar um instrumento musical exige inúmeras repetições... Sim, mas qual a qualidade dessas repetições?

Se tivermos que eleger um campeão dentre os erros que os estudantes cometem, com certeza será o andamento (velocidade)! A ansiedade em querer tocar rápido faz com que “atropelem” o processo todo e claro, não obtenham o resultado desejado. Em muitos casos, o estudante chega a desistir do instrumento por não se achar apto. Uma pena, pois isso poderia ser evitado simplesmente com um direcionamento correto.


Alguém aqui aprendeu a falar ou andar em uma semana?

A atenção ao material estudado também é essencial. De nada adianta estudar lento se você está com a cabeça na macarronada que terá no almoço. Observação dos #movimentoscorporais, postura e sonoridade são alguns dos elementos que devemos priorizar na hora do estudo.


O fator emoção também merece ser citado! Imagine que você tenha um exercício de técnica que deva fazer por 10 minutos. Muita gente liga o metrônomo e fica olhando para o relógio, esperando que aqueles “malditos 10 minutos” passem logo. Pra que? Para cumprir horários e virar folhas de métodos?


A prática correta leva à perfeição.

Quanto mais prazerosa for a prática mais chance ela tem de ser eficaz. Não uso aqui a palavra prazerosa como sinônimo de moleza! Você pode muito bem estar desenvolvendo resistência na condução de samba, por exemplo. É um trabalho “duro”! Nem por isso precisa ser encarado como sacrifício. Use suas músicas favoritas no lugar do metrônomo, convide um baixista para estudar com você, monte trilhas de percussão para acompanhamento, etc.



3. NÃO COLOCAR OS ESTUDOS EM UM CONTEXTO MUSICAL

Para que técnica, leitura e coordenação? Para fazer música é claro! Então porquê não pensar nisso já na hora da prática? Se você sabe os motivos pelos quais está estudando certo material vai conseguir facilmente encaixá-lo em uma situação musical.


Por mais técnico que seja o exercício, se você estudar juntamente com um loop, play along ou música (original mesmo) terá muito mais chances de perceber o contexto e todos os elementos que fazem parte dele como, por exemplo, dinâmica, sonoridade, articulação... sem contar que seu campo criativo ficará muito mais aberto a novas possibilidades.



Conclusão

O estudo não dever ser um castigo e sim uma conquista. Estabeleça um desafio a si mesmo, trace metas, vibre a cada passo dado, mas nunca se esqueça de ir com calma! Faça o planejamento e trabalhe dentro de seus limites.



Contato

Não deixe de comentar este texto e enviar suas sugestões e experiências.


Me siga nas redes sociais: Instagram | Youtube | Facebook



20 visualizações
Magoo Batera

Há mais de 20 anos informando e unindo os Bateras de todo o Brasil!

Parceiros:
logo.png
Fique por dentro das novidades!

© 2020 - Adalberto Brajatschek - Magoo